Pare de procrastinar já!

7 formas de deixar de deixar adiar as suas tarefas

A Procrastinação é um hábito humano relativamente comum, que consiste em adiar, consecutivamente tarefas ou ações, a maioria das vezes relacionadas com o seu trabalho, projeto e vida ou até mesmo, com as suas relações familiares e sociais.

O resultado é um sentimento constante de culpa, ansiedade, vergonha ou perda de autoconfiança, por sentir que não está a corresponder aquilo que esperam de si. Embora seja um comportamento normal no nosso dia-a-dia e especialmente nas alturas em que o nosso cérebro se encontra sobrecarregado, a procrastinação pode se tornar um verdadeiro problema quando interfere com a vida pessoal e profissional do indivíduo, impedindo-o de ter uma vida plena e satisfatória. Pode ser também um sinal de mau estar psicológico, quando se trata de um comportamento demasiado frequente e difícil de controlar.

Deixamos aqui algumas dicas que o podem ajudar a livrar-se desse hábito indesejável:

 1. Identifique o que realmente deseja para a sua vida

Já pensou que talvez não tenha as suas prioridades bem definidas? O autoconhecimento é extremamente importante quando pretendemos definir o nosso caminho e para onde vamos. Se não se conhecer a si próprio, nunca será capaz de descobrir qual é, na realidade, o seu desejo para a sua vida e sem esse desejo (ou esses desejos) bem definidos, não poderá traçar o caminho para lá chegar. Conheça-se! Passe algum tempo na sua própria companhia, marque na sua agenda, como um verdadeiro compromisso, tempo para estar consigo próprio, fazer algo que realmente gosta e lhe dá prazer, ou então, pura e simplesmente, não fazer nada e descansar.

2. Descubra o verdadeiro “porquê”

Tente perceber a razão de estar sempre a adiar determinada tarefa. Será que está alinhado com o seu propósito de vida? Será que esse desejo é realmente seu? Ou é lhe imposto pela sociedade, por uma certa pressão social? Será que a sua profissão, as suas relações, estão alinhadas com aquilo que realmente quer? Ou não passa de uma simples ilusão. Mais uma vez, o autoconhecimento é a chave para o seu sucesso.

3. Identifique os obstáculos ao seu crescimento

Por mais que queiramos, não sempre conseguimos atingir rapidamente os nossos objetivos (isto se já os temos bem definidos). Isso acontece porque quase sempre existem alguns obstáculos que se atravessam no nosso caminho e que podem ser verdadeiramente desafiantes. Falamos de dificuldades financeiras, dificuldades na gestão de tempo, ou por exemplo, autoconceitos sobre nós e sobre os outros que nos impedem de tirar aquele formação que tanto ansiamos ou de fazer aquela viagem que sempre ambicionámos. Trace o seu objetivo e identifique quais são os obstáculos que se apresentam. E não vale pôr a culpa em cima dos outros, pois somos nós próprios que construímos o nosso caminho. A grande maioria das vezes não fazemos ideia do que vai no pensamento dos outros, por isso, não perca tempo com julgamentos.

4. Arranje as ferramentas necessárias à sua evolução

Hoje em dia existem vários cursos, presenciais ou online, de desenvolvimento pessoal, sendo que alguns formadores partilham conteúdo nas redes sociais, de forma gratuita, acessível a todos à qual pode aceder através de qualquer dispositivo móvel. Caso sinta que a sua situação o prejudica, de forma significativa e que não está a conseguir lidar com o seu próprio comportamento, não deve hesitar em procurar a ajuda especializada de um psicólogo clínico.

5. Tenha a certeza que está alinhado com o seu caminho de desenvolvimento pessoal

Ao longo do processo, por vezes irá se sentir tentado a fazer um “pequeno desvio” daquele que é o caminho que traçou para si. Lembre-se que o sucesso é feito de um conjunto de comportamentos que se tornam rotina, por isso cada passo dado no caminho certo é um motivo para celebrar, pois estará assim mais próximo da sua meta. Ah, e afasta-se (por favor) de todas as pessoas que o incentivam a desviar-se do seu caminho.

6. Faça um “diário de bordo”

É importante ir tomando nota, não só da elaboração de seu plano inicial, como também, ao longo do seu percurso, das pequenas vitórias alcançadas, dificuldades sentidas, dos imprevistos com os quais teve que lidar e da forma como enfrentou esses desafios.  O seu “diário de bordo” será uma excelente ajuda, naqueles momentos em que se sentir menos motivado, pois ao tomar consciência do que já conseguiu e de como foi eficaz ao deparar-se com dificuldades, a sua motivação irá aumentar consideravelmente.

7. Permita-se a pequenas recompensas, sempre que atingir pequenos marcos

O nosso cérebro funciona por padrões. A cada pequena conquista, entregue a si próprio um pequeno presente/recompensa. Não precisa de ser algo material, pode ser uma experiência que sempre quis fazer e que guardou para outra altura, ou até simplesmente um boa tarde de convívio entre amigas. Isto fará com que o seu cérebro automaticamente, comece a associar a conclusão de tarefas difíceis a momentos prazerosos e assim, sem se aperceber, está a aumentar as chances de continuar no seu bom caminho, diminuindo as vezes em que adia as suas tarefas mais penosas para depois.